Saiba a influência que coçar os olhos tem em doença que atinge a visão, fique atento!



Ceratocone se desenvolve na camada que cobre o globo ocular e é transmitida geneticamente

Não enxergar bem é sempre um incômodo, existem diversas possibilidades de enfermidades quando o assunto são os olhos e a ceratocone é uma delas.

De origem genética, ela não causa inflamação e atinge a córnea, aquela parte colorida que você percebe quando se olha no espelho.

Diminuindo a espessura da córnea e a tornando fina, a doença acaba projetando a parte do centro para fora e prejudicando a nitidez nas imagens formadas pelos olhos, levando ao aumento do astigmatismo e a miopia.

Coçar os olhos também ajuda a desenvolver a doença em quem já tem predisposição, isso acontece por causa do excesso de atrito.

A ceratocone é passada de pai para filho, geneticamente, e costuma entrar em ação na faixa dos 10 aos 25 anos, mas não é incomum se aparecer até os 40 anos.

Pode afetar as duas vistas em graus diferentes.

Como diagnosticar?

Primeiro se investiga o histórico do paciente, as reclamações dele com perda de visão, por exemplo, depois se examina detalhadamente desde a camada mais superficial até no nervo ótico, se faz outros exames para se certificar do resultado e começar o tratamento.

Sintomas

Pode até se manifestar e a pessoa não sentir nada, mas não é o mais comum.


Confira alguns sintomas:

  • Perda da visão progressivamente
  • Aumento do grau de seus óculos
  • Sensibilidade a luz
  • Dificuldade de enxergar de noite
  • Visão duplicada
  • Ver várias imagens de um mesmo elemento
  • A pálpebra de baixo se contrai quando o paciente olha para baixo
  • Perda da visão

Como agir ao ser diagnosticado?

Se for pego no comecinho, usar óculos funciona bem, em um primeiro momento.

Mas quando vai evoluindo eles precisam ser trocados por lentes que corrigem a superfície da córnea e o astigmatismo.

Também pode se tratar colocando anéis que melhoram a curvatura da córnea, depois que a lente e o óculos não funcionam mais.

Já existe um método rápido, feito com anestesia local, no consultório que dá um ótimo resultado chamado crosslinking.

A córnea é raspada, depois se pinga um colírio com vitamina B2 e é aplicado uma luz ultravioleta.

O último estágio é operação: os casos muito graves acabam precisando de um transplante de córnea.

Por isso não deixe de visitar seu oftalmologista no período correto, ainda mais se já existir algum caso na família.

Evite coçar os olhos e para isso utilize colírios para lubrificar, coloque uma compressa gelada ou lave com shampoo neutro e soro.

O importante é cuidar para o quadro não evoluir.

Não negligencie sua vista e não fuja da consulta de rotina.

Conte para gente quanto tempo faz a última vez que você procurou o oftalmologista?



Loading...

Comentar

17 − 17 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.